terça-feira, 29 de março de 2011

racista, homofóbico, golpista... - com vocês, jair bolsonaro!

Por que ninguém cassa o Bolsonaro? Defende a homofobia, o racismo, o golpe militar e até um novo golpe futuro! E segue na vida política como se fosse natural. Se isso não é quebra de decoro, o que é quebra de decoro? (Thiago Mendonça)
O racista, o algoz da vez! A pergunta que cabe e não cala é: e quanto a todos os outros, os assumidos e os não assumidos (maioria)? Dos racistas, dos algozes de tantas outras vezes, como por exemplo o próprio Danilo Gentili do CQC, ninguém mais se lembra? E os outros (quantos?) que também manifestaram pública e midiaticamente seu reacionarismo, os seus seres racistas? Acaso deixaram de sê-lo? Por pior que seja, penso, é muito melhor enfrentar a esses que aos  inúmeros enrustidos! Enfrentamento constante e não o episódico pautado pelo sensacionalismo. (selito SD)


A propósito deste episódio protagonizado pelo Deputado Jair Bolsonaro, cabe dizer que a eleição de alguém com essa postura e atitude é totalmente coerente em uma sociedade que se diz racialmente democrática, mas que tal à democracia, por mais que se procure não há quem  possa encontrá-la.

O sujeito não é tão somente um representante de si mesmo ou de sua família, se é que me  faço entender. O cara representa o pensamento de segmento importante de nossa sociedade. Só com os votos dos familiares e amigos não conseguiria se eleger. Ocorre que muita gente não admite em público aquilo que defende, ferrenhamente, na esfera do particular.

Por exemplo, dentre muitos que se dizem amantes do samba há uma significante porção dos que partilham das idéias do deputado em relação ações afirmativas para as minorias (não-brancos, indígenas e negros, principalmente).

Há os que se incomodam por serem lembrados o tempo todo da apropriação/expropriação, em moda, das expressões das culturas populares por eles da "Classe Mérdia" e seus parceiros ideológicos.

Não faz muito tempo eliminei de minha lista de e-mails pessoas que se dizem e se querem sambistas/amantes do samba e coisa e tal. Tudo por conta de uma mensagem imbecil e racista veiculada a partir de um ato de racismo protagonizado pelo Danilo Gentili do CQC. Aliás, reacionário CQC que, ao que me parece, tratou foi de fazer a promoção do infeliz deputado e suas infelizes idéias. Interessante, não?

É importante lembrar que sempre que um reacionário qualquer assume pública e midiaticamente sua postura, tudo e todos imediatamente apontam para o sujeito com a mais assombrada indignação. Como se o imbecil fosse voz isoladamente dissonante numa sociedade igualitária. Elege-se o grande vilão e exime-se si mesmo e a todos os demais de culpa. Sobra o algoz da vez e o(s) discriminado(s).

Ora, por mais que caiba a indignação, por mais que se deva sim indignar-se contra tais atitudes e posturas, insisto que esse é o tipo de adversário, ou melhor, inimigo mais fácil de se enfrentar e combater. Difícil é enfrentar o inimigo oculto que, por vezes (não poucas) faz-se passar por amigo.

O que é preciso é refletirmos profundamente a fim de que possamos identificar em que medida lá no nosso íntimo, ainda que inconscientemente, defendemos e, pior, reproduzimos, muito daquilo que apontamos como negativo no outro. E só vemos no outro, por mais que conheçamos bem intimamente a esse negativo. O vemos somente no outro. Por quê?

Há braços!


Selito SD.

Nenhum comentário:

Postar um comentário