sexta-feira, 23 de maio de 2008

faleceu ontem o sambista marcelo justo...


...

Marcelo Justo


Acabo de ficar sabendo do falecimento do Camarada Marcelo Justo, sambista, batuqueiro da melhor qualidade, um dos melhores no surdo: uma das mais malandras marcação... Esse boníssimo malandro formou num dos melhores times (o Samba Raro, 1ª formação) que já vi e tive a oportunidade, pra lá de gratificante e honrosa, de jogar com... ou melhor, tocar e cantar.


Edu Batata, Marcelo Justo, eu, Airton, Dalto, Wilson Moreira, Cacá Sorriso (escondido) e Júlio.


A foto acima é documento que registra um dos magistrais momentos em que pude partilhar uma gostosa noite de gostosa batucada e gostosa companhia.

Quanto ao falecimento, a notícia chegou-me primeiro via Marcelo Fonseca divulgando texto postado em seu blogue e cujo primeiro parágrafo segue abaixo deste meu brevíssimo escrito; e também por mensagem do camarada Emerson Urso via orkut - uma pancada!

Já fazia um tempo considerável que não me esbarrava com esse bamba. E, agora, sei que não mais nos veremos, nem tocaremos, não cantaremos, nem beberemos juntos... Marcelo foi para outras bandas, partiu p´ra Aruanda...


Marcelo Justo, Guerreiro e Camarada, um forte abraço, muito Axé/Ntu e...


SAUDAÇÕES SAMBÍSTICAS!!!

Selito SD.





MARCELO JUSTO



Por Marcelo Fonseca

No primeiro artigo desse blog eu contei uma história do Marcelo Justo, que tinham sacaneado ele com o apelido de “Marcelo Rabecão”. Era a história de um sapato de um defunto que ele tinha visto do ônibus. O Marcelão saía de Pirituba pro batente. Segurando a bronca da família. Um cara sério, trabalhador e que fazia jus ao sobrenome.

Fora do meio, ninguém sabe quem é o Marcelo Justo. Com toda essa bobagem de inclusão social, nenhum artista que foi “garfar” dinheiro nas periferias da cidade de São Paulo pensou em conhecer e valorizar a cultura realmente genuína da gente que mora lá na beira da Anhanguera, por exemplo. E o Marcelão vai falar com Deus sem que o puto que dá aula na Usp e fala em direita e esquerda faça a menor idéia do que é um pobre e do som do surdo do Marcelão que nunca deixou o samba cair. (leia na íntegra)

quarta-feira, 21 de maio de 2008

carta de frei beto para marina silva

Querida Marina

Caíste de pé! Tu eras um estorvo àqueles que comemoram, jubilosos, a tua demissão, os agressores do meio ambiente.

CAÍSTE DE pé! Trazes no sangue a efervescente biodiversidade da floresta amazônica. Teu coração desenha-se no formato do Acre e em teus ouvidos ressoa o grito de alerta de Chico Mendes. Corre em tuas veias o curso caudaloso dos rios ora ameaçados por aqueles que ignoram o teu valor e o significado de sustentabilidade.

Na Esplanada dos Ministérios, como ministra do Meio Ambiente, tu eras a Amazônia cabocla, indígena, mulher. Muitas vezes, ao ouvir tua voz clamar no deserto, me perguntei até quando agüentarias. Não te merece um governo que se cerca de latifundiários e cúmplices do massacre de ianomâmis. Não te merecem aqueles que miram impassíveis os densos rolos de fumaça volatilizando a nossa floresta para abrir espaço ao gado, à soja, à cana, ao corte irresponsável de madeiras nobres.

Por que foste excluída do Plano Amazônia Sustentável? A quem beneficiará esse plano, aos ribeirinhos, aos povos indígenas, aos caiçaras, aos seringueiros ou às mineradoras, às hidrelétricas, às madeireiras e às empresas do agronegócio?

Quantas derrotas amargaste no governo? Lutaste ingloriamente para impedir a importação de pneus usados e a transformação do país em lixeira das nações metropolitanas; para evitar a aprovação dos transgênicos; para que se cumprisse a promessa histórica de reforma agrária.

Não te muniram de recursos necessários à execução do Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento da Amazônia Legal, aprovado pelo governo em 2004. Entre 1990 e 2006, a área de cultivo de soja na Amazônia se expandiu ao ritmo médio de 18% ao ano. O rebanho se multiplicou 11% ao ano. Os satélites do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) detectaram, entre agosto e dezembro de 2007, a derrubada de 3.235 km2 de floresta.

É importante salientar que os satélites não contabilizam queimadas, apenas o corte raso de árvores. Portanto, nem dá para pôr a culpa na prolongada estiagem do segundo semestre de 2007. Como os satélites só captam cerca de 40% da área devastada, o próprio governo estima que 7.000 km2 tenham sido desmatados. Mato Grosso é responsável por 53,7% do estrago; o Pará, por 17,8%; e Rondônia, por 16%. Do total de emissões de carbono do Brasil, 70% resultam de queimadas na Amazônia.

Quem será punido? Tudo indica que ninguém. A bancada ruralista no Congresso conta com cerca de 200 parlamentares, um terço dos membros da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. E, em ano de eleições municipais, não há nenhum indício de que os governos federal e estaduais pretendam infligir qualquer punição aos donos das motosserras com poder de abater árvores e eleger ($) candidatos.

Tu eras, Marina, um estorvo àqueles que comemoram, jubilosos, a tua demissão, os agressores do meio ambiente, os mesmos que repudiam a proposta de proibir no Brasil o fabrico de placas de amianto e consideram que "índio atrapalha o progresso".

Defendeste com ousadia nossas florestas, nossos biomas e nossos ecossistemas, incomodando quem não raciocina senão em cifrões e lucros, de costas para os direitos das futuras gerações. Teus passos, Marina, foram sempre guiados pela ponderação e pela fé. Em teu coração jamais encontrou abrigo a sede de poder, o apego a cargos, a bajulação aos poderosos, e tua bolsa não conhece o dinheiro escuso da corrupção.

Retorna à tua cadeira no Senado Federal. Lembra-te ali de teu colega Cícero, de quem estás separada por séculos, porém unida pela coerência ética, a justa indignação e o amor ao bem comum. Cícero se esforçou para que Catilina admitisse seus graves erros: "É tempo, acredita-me, de mudares essas disposições; desiste das chacinas e dos incêndios. Estás apanhado por todos os lados. Todos os teus planos são para nós mais claros que a luz do dia. Em que país do mundo estamos nós, afinal? Que governo é o nosso?"

Faz ressoar ali tudo que calaste como ministra. Não temas, Marina. As gerações futuras haverão de te agradecer e reconhecer o teu inestimável mérito.

______________________________________________________________________________
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
CARLOS ALBERTO LIBÂNIO CHRISTO
, o Frei Betto, 63, frade dominicano, escritor e assessor de movimentos sociais, é autor de, entre outras obras, "A Obra do Artista Uma Visão Holística do Universo". Foi assessor especial da Presidência da República (2003-2004).

sexta-feira, 16 de maio de 2008

festival de samba de quadra da camisa verde e branco

................................................
Gente boa gente!

Desejando um ótimo final de semana, venho reforçar a convocação para todos(as) a estarem na quadra da Gloriosa Verde e Branco da Barra Funda neste sábado 17.05.2008 quando a partir das 14h tem início o FESTIVAL DE SAMBA DE QUADRA DA ALA DE COMPOSITORES DA CAMISA VERDE E BRANCO no qual estarei concorrendo com o samba: CORAÇÃO VERDE E BRANCO (Um Soneto para aminha Escola).

Os detalhes são:

- O Festival de samba-exaltação ao CAMISA VERDE E BRANCO será realizado dia 17.05.08, das 14h00 as 21h00;

- O sorteio da ordem dos sambas a se apresentarem será realizado às 16h00;

- Os votos serão dados em microfone aberto pelos membros da Ala de Compositores da Escola;

- Os sambas serão apresentados duas vezes: a primeira sem votação; a segunda valendo a disputa (com votação);

- As apresentações se constituirão de quatro passagens cada (duas somente com harmonia e duas com harmonia e percussão).

Sua presença e participação é muito importante.

Abraços e... SAUDAÇÕES SAMBÍSTICAS

Selito SD.


Sede: Rua James Holland, 663 - Bairro: Barra Funda - S.P.
Cep.: 01138-010 - Telefone/Fax: 3392-4978 / 3392-1621 / 3392-4606
Site: http://www.camisaverde.com.br/ / E-Mail: camisa@camisaverde.com.br